REDES SOCIAIS

Desmistificando o ano hípico

Saiba mais sobre o calendário equestre e aprenda a calcular a idade correta de seu animal para as competições

02/04/2019 10:34:45

Por Dr. Marcio Araripe

Foto: williamwoods

Quantas vezes você viu alguém perguntando: Como funciona o ano hípico? Se meu cavalo tem dois meses de vida porque ele tem um ano hípico? Muitas vezes, todos tentam explicar e ninguém consegue entender. Portanto, tentarei retirar todas as dúvidas em relação a este assunto importante para os que se relacionam com o cavalo.

O ano hípico começou nos países do Hemisfério Norte para facilitar a divisão dos animais em categorias. Criaram a seguinte definição: ‘Todos os animais completam um novo ano hípico a cada dia 1º de julho após o seu nascimento, independente da data real que tenha nascido’.

A temporada de monta no Brasil inicia-se em agosto e encerra-se no final de janeiro para que um animal de dois anos e um mês de vida (com três anos hípicos) não dispute com um animal de dois anos e onze meses de vida (também com três anos hípicos).

Isto acontece porque a gestação da égua é de onze meses e desta forma as matrizes fertilizadas em agosto parirão em julho do outro ano, as cobertas em setembro parirão em agosto do outro ano, e assim por diante.

Os animais bem nascidos são aqueles que completam seus anos hípicos no tempo próximo de seu aniversário real, portanto os equinos nascidos em julho são mais bem nascidos que os animais de novembro.

Para facilitar a visualização, desenhe um relógio de ponteiro. No lugar do número 12, ponha o dia 1° de julho (data da virada do ano hípico). No lugar do número 6, ponha a data 1° de janeiro (início do ano para os cristãos) e preencha os demais meses respeitando o sentido horário. Veja a ilustração abaixo:

Ponha a ponta do lápis no mês quando seu animal nasceu e percorra em volta do desenho, no sentido horário. Cada vez que seu lápis passar pelo dia 1° de julho será contado um ano hípico. Os animais nascidos no final de junho completarão o primeiro ano hípico com poucos dias de vida.

Fonte: Editora Passos